joao_climaco_bezerra_patrono_da_cadeira_n_9.jpg

João Clímaco Bezerra

Patrono da Cadeira nº9

Natural de Lavras da Mangabeira, CE, nasceu em 30 de março de 1913 e faleceu em 4 de fevereiro de 2006. Diplomou-se Contador pela Escola de Comércio Padre Champagnat. Na mesma escola iniciou sua carreira de professor, exercendo o magistério também no Instituto de Educação Justiniano de Serpa (antiga Escola Normal), na Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas da Universidade Federal do Ceará e na Escola de Administração do Ceará, da qual foi um dos fundadores. Romancista, cronista, novelista, ensaísta e jornalista, autor de vários livros, dentre os quais se destacam os romances Não há estrelas no céu (1948), Sol posto (1952), A vinha dos esquecidos (1980), todos publicados pela José Olympio Editora, e o inédito Os órfãos de Deus, a novela Longa é a noite (1952), os livros de crônica O homem e seu cachorro e O semeador de ausências. Foi um dos fundadores do Grupo Clã de literatura. Ocupou cargos importantes na vida pública do Ceará, como o de Secretário da Educação do Estado, Diretor Técnico da "Educação, Chefe do Serviço de Relações Públicas do Banco do Nordeste do Brasil. Exerceu o cargo de chefe do Gabinete do Presidente da Confederação Nacional da Indústria, no Rio de Janeiro, de 1966 a 2006, ano de sua morte. Pertenceu à Academia Cearense de Letras, de 1953 a 2006, a ocupar a cadeira nº 9.

logo
©2019 ACAD. Todos os Direitos Reservados.

Search